AS NOSSAS PARTILHAS

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Dia Nacional da Água

Ontem foi Dia Nacional da Água, mas como coincidiu com o Dia Internacional da Música deixamos para hoje a comemoração desse dia.
A água é talvez o recurso mais precioso que a Terra oferece á Humanidade pois é essencial á vida. Mas só 3% da água existente na Terra pode ser consumida pelo Homem. Com tanta gente e tantas espécies no mundo que precisam de água, e tão pouca água disponível, só há uma solução: POUPAR
Hoje, durante a tarde, os meninos maiores estiveram a falar um pouco sobre a utilidade da água:
Precisamos dela para:
  • Beber
  • Lavar as mãos e a cara
  • Lavar os dentes depois de comer
  • Tomar banho
  • A mãe lavar a louça
  • A mãe fazer a comida
  • A mãe fazer canja
  • O pai fazer a barba
  • Lavar os pés
  • Lavar a roupa e as sapatilhas
  • Tomar banho na piscina
  • Encher o mar

E muitas outras coisas que não nos lembramos.

Uma das coisas para que serve a água é também para brincar e fazer descobertas. Após a nossa conversa na roda da reunião fomos então á descoberta.

Com uma taça com água, uma bola de plasticina, um parafuso pequenino, uma rolha, um boneco de madeira, um cubo também de madeira e diversos pregos...fomos experimentar quais os objectos que flutuam e quais afundam.


Começamos com a bola de plasticina. Afunda ou flutua?
A maioria achou que se iria afundar.

E tinham razão. E o bonequinho de madeira? Desta vez não acertaram. A girafa não se afundou.
E a rolha?

Agora as opiniões estavam dividas. Nada como verificar.

A rolha também flutua como o boneco de madeira.
E se deitarmos lá para dentro o parafuso pequenino? Ele é tão pequenino!
Mas apesar de pequenino foi ao fundo.


Para o fim ficou o cubo de madeira. É grande, muito maior do que o parafuso, por isso deve afundar-se. Mas não, afinal flutua.
"Parece que tudo o que é de madeira flutua!"

E se experimentassemos outra coisa?

Com uma bola de plasticina igual à primeira fizemos um pequeno barco. E agora, o que será que vai acontecer ao nosso barco, feito com a mesma quantidade de plasticina que tinha afundado?
Agora flutuou!
Mesmo quando o enchemos com pregos que afundam, o nosso barco flutuou.

Só quando estava tão cheio que começou a entrar água é que ele se afundou.

E pronto. Só falta fazer o registo para não nos esquecermos.

Que tarde bem passada!

Sem comentários:

Enviar um comentário